16 de setembro de 2011

Macho Empacado: Recorrendo à Vovó (Arroz Doce)

Cozinha: R. Cap. Melo, 22-336 - Stella Maris, Salvador - BA, 41600-610, Brasil
Amigos machos e não-machos. Estes dias estou com total falta de inspiração. Nem para um mísero sanduíche a coisa está fluindo. Então vou recorrer ao caderno de receitas da vovó e mandar ver um arroz doce, que eu nunca mais comi. Para quem não sabe, o arroz doce é um típico doce árabe. Alguns atribuem uma maior precisão à sua origem citando a Turquia. De onde ele vem, eu realmente não sei, o que eu sei é que sempre gostei.

Fazer o arroz doce é simples e, se você não quer ter muito trabalho, recorra aos ingredientes industrializados. Mas se você quer sabor, a história muda um pouco. Usar o leite de côco fresco e, ralar o côco de costas (não amigo macho, você não se tornará um macho malabarista para isso) são algumas coisas que darão um sabor especial a esse doce. Anote o que você vai precisar.

|| Ingredientes:

1/2 kg de arroz branco cozido e escorrido
500 ml de Leite de côco
Leite
Açúcar a gosto
150 gramas de côco ralado
Canela em pau
Canela em pó
Cravo
Sal

|| Como fazer:

Cozinhe o arroz em água e sal e escorra. Em uma panela acrescente o arroz escorrido, o cravo, a canela em pau, açúcar a gosto, o côco ralado, o leite de coco e um pouco do leite líquido. Vá dosando o leite líquido conforme a consistência que desejar. Para o chamado Arroz Doce de Corte, use menos leite. Leve ao fogo mexendo sempre para que não grude no fundo da panela. Se necessitar, corrija o sal. Muita gente acha que não deve, mas é o sal que "puxa" o sabor dos ingredientes. Quando ganhar consistência desejada, transfira para uma travessa e povilhe canela em pó. Esse doce vai bem tanto quente quanto gelado, com leite condensado por cima. Mas isso fica a critério das pessoas com síndrome de formiga.


********************************************************
Nota: Ralar o coco de costas é um termo utilizado para dizer que você deve começar a ralar o coco pelas "costas" dele, ou seja, começar pela parte externa, não chegando à parte que fica em contato com a água.

Truque: Ferva a água para o arroz, cozinhe a canela e o cravo nesta água por uns minutos retirando em seguida. Cozinhe o arroz nesta água. O sabor da canela ficará mais suave.


17 comentários:

  1. Gostei mesmo!! Receita de voh sempre eh mais caprichada!!
    melhoras!

    ResponderExcluir
  2. Quando eu era criança, detestava... hoje nao vivo sem!! hehehe

    www.mastigandoemsalvador.com.br

    ResponderExcluir
  3. Túlio, vivendo e aprendendo! Eu achava que não existia doce mais brasileiro do que arroz doce. Acho que é pq cresci comendo ele toda semana, feito tmb pela minha avó! Ótima receita! beijos e bom final de semana!

    ResponderExcluir
  4. Hum Tulio
    Mas essa sua receita é bem soteropolitana, né?
    Com coco ralado e leite de coco... super incrementada!
    Assim eu nunca fiz.
    Gostei.
    Bj

    ResponderExcluir
  5. Paty, Mirella e Catarine... bota clássico nisso. Isso me lembra filme dos Trapalhões na Sessão da Tarde, na casa da minha avó. Ô tempo que eu passava bem e não sabia. Coisas de infância. heheheh

    Bruna, eu também sempre achei que era coisa de brasileiro. hehehe Até descobrir que muitos dos doces que comemos aqui, são cópias ou variações de doces de outros países.

    Deborah, experimenta com o leite de côco e o côco. Dá um sabor diferente. Mas se puder, use bagaço de côco mesmo, em vez destes de saquinho. Você pode fazer o seguinte também: compra um côco seco, bate a polpa dele com um pouco de água e espreme com um pano limpo. Daí terá o leite de côco fresco. O bagaço você não despreza. Usa parte dele pra misturar com o arroz. Um novo sabor pra você! :O)

    ResponderExcluir
  6. Túlio, achei super interessante o fato do arroz doce ser um típico doce árabe. Engraçado isso, por que vc cresce comendo esse doce,e qual a vovó que não fez um arroz doce né? Pra mim sempre foi brasileirissímo, gostei muito se saber disso, gosto de vir aqui te visitar, além das ótimas receitas que vc tem aqui, sempre tem ótimas dicas, e saimos daqui sempre aprendendo alguma coisa. Gostei da idéia que vc deu a Deborah, por que já fiquei imaginando meus dedos ralados no ralador kkkkk. E vamos combinar que um arroz doce assim, só pode ficar muito bom. Vou levar a receita, como formiguinha assumida que sou não posso ir embora sem ela.hehehe... Bjinhos um ótimo final de semana

    ResponderExcluir
  7. Josy, boa parte dos doces que conheço nesta linha do arroz doce levam côco ou leite de côco. É o caso do mugunzá (canjica pro pessoal do sul). Não sei se isso é por conta da regionalização, mas que fica bom, fica. E quanto a ralar os dedos... hoje só rala quem quer e quem não tem processador. :op Mas... confesso que ralando no ralador mesmo fica mais gostoso. Dá trabalho... mas fica mais gostoso. Esses dias vou fazer um outro doce que sou viciado também: lelê. Segura que vem mais côco por aí. heheheh

    ResponderExcluir
  8. Túlio querido, me fizestes lembrar de minha avó que faz o melhor arroz doce e mungunzá do mundo :) e que também completa 79 amanhã!
    Isso é que é receita pra macho mesmo :) Imagine você que meu marido já marcou uma aula com minha avó, só para aprender a fazer o arroz doce dela. Não é um macho esse meu marido? hehe
    Um abraço, Queila

    ResponderExcluir
  9. Queila. Em primeiro lugar, parabéns pra sua avó! ;o)
    Em segundo, terceiro, quarto... macho que é macho mesmo encara até a avó da esposa pra aprender a fazer comida boa. :)
    Adoro esses doces que me lembram a infância. Uma coisa que eu sou viciado e que não aprendi a fazer (por safadeza, confesso) é biscoitinho de goma. hehehe

    ResponderExcluir
  10. Oi meu amigo bom dia!!!

    Eu, particularmente, não gosto de arroz doce... não me agrada a sua aparência... mas suas dicas são super interessantes! Já fiz arroz doce a pedidos da família agora da próxima vez, tenho certeza que ficará bem melhor...

    Espero que você tenha melhorado!!!

    Um excelente fim de semana, com os cuidados da vovó!!
    Bjs
    Lu

    ResponderExcluir
  11. Túlio que maldade, já disse que sou formiguinha assumida, mas não te disse que sou formiguinha assumida e ansiosa rsrsr. Agora estou curiosa pra saber que doce é esse: Lelê??? Ai ai meu amigo, e toca eu a esperar, bem quietinha aqui imaginando a delicia de coco que vem por ai, vou tirar meu processador do armário, melhor que eu tenho a fazer hehe. Aliás boa lembrança a sua....bjokas

    ResponderExcluir
  12. Josy, você nem vai ter que esperar muito. hehehehe
    Fui no Google ver se achava a receita pra te passar e descobri que a Patty passou na minha frente desde fevereiro do ano passado. Aqui a receita: http://www.aquinacozinha.com/2010/02/lele-da-bahia-lele-ou-muxa-voce-conhece/

    ResponderExcluir
  13. Túlio meu amigo, obrigada por satisfazer a minha curiosidade, fui la ver no blog da Patty e no da Marly, duas receitas iguais, mas com nomes diferentes, pergunta se gostei??? Não tenha nem dúvida!! Se a Patty passou na frente, visto que é uma receita de 2010, o fato é que eu não a conhecia, e graças a vc é mais uma que aprendo, mas não deixe de fazer não viu? Eu, com certeza farei, e lá se vai minha dieta para o espaço rsrsr. Bjos. Obrigada

    ResponderExcluir
  14. Tulio receita de vó sempre merece o Top.

    ResponderExcluir
  15. Adorei seu cantinho!
    Espero sua visita.
    Bjs

    www.comerrezando.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Uma das minhas sobremesas prediletas.
    Mas nunca comi com leite de coco, deve ficar muito especial o sabor.
    Bjs

    ResponderExcluir

Todos os comentários são bem vindos e as críticas construtivas são bem aceitas. Mas me reservo o direito de apagar qualquer comentário que contenha propagandas (SPAM), conteúdo vulgar ou ofensivo. Retribuo educação com educação.