26 de setembro de 2011

Macho Viciado: Café

Cozinha: R. Cap. Melo, 21-335 - Stella Maris, Salvador - BA, 41600-610, Brasil
Latte Macchiato personalizado por um amigo barista. 
Há quem ame, há quem odeie. E há os viciados como eu, que não deviam, mas não conseguem evitar o nosso pretinho básico de cada dia. Sim, amigos, confesso, sou um viciado em café! Já cheguei ao ponto de quase me inscrever em um curso para baristas, só para ficar mais perto do líquido negro que alegra as minhas manhãs. Sei que tem gente que vai torcer o nariz para esse post, pois não gosta de café, mas eu não posso agradar a todos o tempo todo.

Sempre que escrevo, costumo contar um pouco da história do ingrediente principal para que você fique mais familiarizado com o que ele pode oferecer. Hoje vou pular esta parte, já que essa historinha você encontra em qualquer embalagem de café. É importante, no entanto, que você tenha em mente que não existe um sabor ideal para o café, já que cada um gosta de uma maneira. Mas existem, sim, as maneiras adequadas de prepará-lo para extrair o máximo possível de aroma e sabor. 

Comecemos pela água, que não precisa ser fervida, mas deve ficar com uma temperatura próxima dos 90º. Passando disso a água perde o oxigênio e altera a acidez do café. Como você não vai ficar com um termômetro dentro da panela, o truque é observar as bolhas que se formam no fundo dela. Quando houver bastante bolhas, apague o fogo e use a água. Outra dica importante é nunca esquentar a água já com o açúcar. Isso formará uma calda (fina, sim, mas... calda) que impedirá a água de entrar em contato com o café e retirar totalmente o seu aroma e sabor. 

E por falar em sabor, apesar de seu sabor amargo cada café, assim como os vinhos, tem uma mescla de sabores diferentes. Isso varia de região para região e é influenciado pelo clima, tipo de solo, etc. É altamente recomendado experimentá-los individualmente pois você sentirá estas diferenças. Mas, se você é um macho (ou não-macho) aventureiro pode tentar blends, ou, misturas de cafés de diversas regiões que trazem novos sabores e sensações. Você pode comprar um blend pronto em casas especializadas ou preparar o seu próprio. Basta misturar os grãos e moer ou, comprar já moído e misturar atentando para as quantidades, já que se houver pouca ou demasiada quantidade de um tipo de café, o sabor será alterado.

Hoje, em cada esquina do mundo, existe uma máquina de café espresso (sim, com 's' mesmo), o que popularizou mais ainda a bebida. Mas nem só de espresso vive o mundo. O café árabe, servido sem coar, com o pó diretamente na xícara, também é delicioso e apreciado por muitos (ok, confesso, eu não curto). O espresso feito numa cafeteira mocha (um dos meus preferidos) é muito saboroso também. E o que falar do nosso suave (e aguado pro meu paladar mas, que eu bebo mesmo assim) café coado do dia-a-dia? Todos tem suas características peculiares mas muito em comum. Então, escolha o seu preferido, prepare e aprecie. O meu, sem açúcar ou adoçante, por favor.




12 comentários:

  1. Eu amo café, gosto do coado do dia à dia, feito na hora e não gosto de tomar depois.Tenho uma amiga paulista, vizinha que faz café e deixa na térmica, é uma delicia, mas só o dela.E sempre que tenho vontade de tomar um cafezinho e só chegar ali...
    Paz e bem

    ResponderExcluir
  2. Café, minha droguita preferida!!Simples, preto, quente e forte! UI... rsr
    Adorei!

    ResponderExcluir
  3. Gente... café é uma droga mesmo. Só sento pra postar algo se tiver uma caneca do lado. hehehe
    Mas prefiro mesmo o espresso sem ser adoçado. Gosto de sentir o amargo do café.

    ResponderExcluir
  4. Oi Túlio meu amigo, quem não gosta de café, não sabe o que está perdendo, amo café puro, sem açucar e nem adoçante. Adoro café coado na hora fresquinho ou mesmo para encerrar uma refeição. Para mim é um prazer fazê-lo e prová-lo.E viva nosso cafézinho...hehe... Bjs

    ResponderExcluir
  5. Josy, como disse a alguém estes dias: eu não sou viciado... não tenho problemas com o café... só com a falta dele. hehehehehe

    ResponderExcluir
  6. Café, café! É, café!
    Tudo bem, confesso que já fui viciada e deu o maior trabalho para retirar o vício (meses com fortes dores de cabeça e lá vai), mas hoje estou livre do demónio hehe
    Meu marido em contra partida toma muito café, muito mesmo! Na última empresa onde ele trabalhou tinha uma maquininha nespresso e o macho tomava 6 espressos duplos por dia :o Barbaridade!
    Hoje tomo café socialmente (uma vez no ano) e meu macho toma todo dia.
    Adorei o post apesar dos pesares :)
    Um abraço, Queila

    ResponderExcluir
  7. Sempre acertei fazer café, mas de uns tempos pra cá a coisa tá difícil. Não sei se é o filtro, o café ou a moça na frente disso tudo (eu). Mas eu sou teimosa.... E vou acertar de novo!
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Deborah, o café vai do gosto de cada um. Conheço gente que costuma beber o que eu chamo de "cháfé"... e adora! :o) Mas, para os mais fieis, uma proporção razoavelmente ideal é a de 80g (cerca de 4 ou 5 colheres de sopa) de pó para cada litro de água. Outra dica é a seguinte, nunca cozinhe o pó na água. Água muito quente vai alterar as propriedades do café. E... se você é chata com café, assim como eu, uma dica extra: antes de por o pó no filtro, molhe ele com a água quente e despreze essa água. Isso tira o "gosto de papel" do filtro. :o)

    ResponderExcluir
  9. A todos... beber café, assim como beber vinho, para muitos é uma coisa qualquer. Para outros... é um ritual. Se você pratica o ritual, faça isso com prazer. :O)

    ResponderExcluir
  10. Eu sou daqueles que não bebem café! Mas adoraria gostar...
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Eu detestava café... Até que comecei a fazer dupla jornada, logo no inicio da minha carreira, e tive que começar a tomar pra aguentar o sono... Confesso que bebia fazendo caretas, mas não é que viciei nesse negócio? Hoje adoro, tenho que tomar uma xícara, pelo menos, por dia... Além de ser tiro-e-queda contra qualquer dor de cabeça...

    ResponderExcluir
  12. Andréa, eu passei um tempo sem café. Consegui. Mas... acabei voltando a ele. Hoje bebo uma caneca. Sei que não devo e tô tentando diminuir. Quem sabe, eliminar. Já consegui tirar o pão da minha vida. Quer dizer... quase. Eu não trago mais pão pra casa. Mas ainda como na casa da minha mãe ou em outro lugar.

    Claudia, te entendo amiga. Te entendo. kkkkkkk Esse treco chama a gente até quando a gente não quer. :p Olha, preciso de um e-mail seu pra te mandar uma coisa. Deixa por DM lá no Twitter, tá?

    Beijão e sucesso às duas!

    ResponderExcluir

Todos os comentários são bem vindos e as críticas construtivas são bem aceitas. Mas me reservo o direito de apagar qualquer comentário que contenha propagandas (SPAM), conteúdo vulgar ou ofensivo. Retribuo educação com educação.